Gênese das águas – Paulo Bertran

Gênese das águas 
                             
                              – Paulo Bertran – 1948-2006

Gênese das águas,
pedras fendidas,
grota entreaberta.
Viço de mata verde:
árvores lacrimejam, transidas de frio.

Chove. A estação dos bálsamos abre
suas fechaduras. Lírios colorem
o campo e rirão para pedaços de sol.

Chove. Homens de bem lavram a terra
para a duvidosa messe dos que crêem.
Amarelava a minha ceifa de trigo.

Haverá, haverá ?
Chove.

Fecho a fazenda
e a entrego a São Bento e São Benedito.

 _____

* Paulo Bertran, historiador e poeta goiano tem uma obra extensa e
cunhou o conceito de eco-história em seu seminal: História da Terra e
do Homem no Planalto Central, 1994.
http://www.paulobertran.com.br/index.php

** poema enviado pelo amigo, poeta e artista plástico  Romulo Pintoandrade – Brasília, DF.
http://pintoandrade.multiply.com/reviews/item/14

Esse post foi publicado em Poesia e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s