Roda Rosinha – José Alberto de Souza

Roda Rosinha
             
                    – José Alberto de Souza – Jaguarão, RS
  
Roda Rosinha, meu amor,
quero ser feliz parceiro
pulando assim tão faceiro
ao escutar pelo caminho;
no riacho, o som do moinho.
 
As pedrinhas deslizando,
n’água circulos formando.
 
Nossos risos sem motivo,
nem se nota olhar furtivo.
Nessa brincadeira à toa
gastamos a mocidade
longe de qualquer maldade.
  
Ah! Como a vida é boa.
  
Roda Rosinha, meu amor,
quero ser feliz parceiro
pulando assim tão faceiro
ao escutar pelo caminho,
no riacho, o som do moinho.
 
As gotinhas respingando,
as nossas roupas molhando.
 
Numa alegria bem ‘nocente
a nossa voz estridente.
Nessa brincadeira à toa
gastamos a mocidade
longe de qualquer maldade.
  
Ah! Como a vida é boa.
____________


** Imagem :
Moinho d’água – 0,40 X 0,30 m – Releitura.
 Maria do Carmo Mesquita, Belo Horizonte, MG
http://docarmomesquita.blogspot.com/2010/06/moinho-dagua-040-x-030-m-releitura.html
Esse post foi publicado em Poesia e marcado , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Roda Rosinha – José Alberto de Souza

  1. Mas que coisa de louco, ficou lindo demais, muito obrigado mesmo,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s