O lugar onde vivemos – Luiz Carlos Amorim, foto de Maria de Fátima Barreto Michels

gaivota_laguna_maria_de_fatima_barreto_michels
O lugar onde vivemos

                                              Luiz Carlos Amorim – Florianópolis, SC

Estamos na Semana Mundial do Meio Ambiente e o dia 5 é o Dia da Ecologia e do Meio Ambiente. Como o Dia da Água, todo dia é dia do meio ambiente, todo dia é dia de ecologia. E está mais do que na hora de nos conscientizarmos disso, pois a natureza está cansada de esperar que o ser humano se dê conta de que é preciso preservar o lugar onde vive.

Ela está se rebelando, mostrando o resultado de tanto tempo de descaso e desrespeito. Estamos vendo isso pelo mundo todo. O que Mãe Natureza precisará fazer para que nos convençamos de que estamos destruindo nosso meio ambiente, nosso planeta? Como diziam meus avós, ela sempre pega o que é dela de volta. Ainda mais em ela vendo que não estamos cuidando nada do nosso planeta, não estamos levando a sério o fato de que se não tratarmos dele, ninguém o fará por nós.

E tratar dele, tratar do meio ambiente é tratar de nós mesmos. A Semana Mundial do Meio Ambiente está aí, então, para pararmos e refletirmos sobre nossas ações, tão irresponsáveis e nada preventivas para que tenhamos nosso planeta mais saudável para nós, para nossos filhos e netos. Que meio ambiente deixaremos para o futuro, para os nossos filhos e netos?

Haverá futuro para o meio ambiente, para a vida, se continuarmos a agredir a natureza, destruindo o ar, a água, o mar, o solo? Não cuidamos do lugar onde vivemos, fragilizamos a saúde do planeta, envenenamos o ar, a água, a terra, o mar. O resultado é a nossa saúde fragilizada. Precisamos devolver a saúde ao meio ambiente, ao planeta, para restabelecer a nossa própria saúde.

Com muita urgência. Porque o tempo está se esvaindo. Há que se trabalhar, e muito, com muita urgência, pelo restabelecimento da saúde do planeta. Como poderemos nos redimir, se cometemos incomensuráveis crimes contra o meio ambiente, não cuidando direito da coisa mais elementar, do mais básico, que é o nosso lixo?

É assim que cuidamos da natureza? Infelizmente nós, os seres humanos, fazemos questão de não aprender. Com todas as tragédias que vêm acontecendo nos últimos anos, em função das variações do clima, parece que não aprendemos e continuamos a agredir a nossa Mãe Natureza, poluindo-a de todas as maneiras possíveis. Quando vamos aprender? Haverá tempo?

__________

www.prosapoesiaecia.xpg.com.br

http://luizcarlosamorim.blogspot.com.br/

foto de  Maria de Fátima Barreto Michels – Laguna, SC

Anúncios
Esse post foi publicado em Crônicas, Imagens, Prosa e marcado , . Guardar link permanente.

2 respostas para O lugar onde vivemos – Luiz Carlos Amorim, foto de Maria de Fátima Barreto Michels

  1. Fatima disse:

    Excelente o texto de Luiz Carlos Amorim! Uma alegria estar junto com a imagem da gaivota. Obrigada ao Cantinho Literário SOS Rios do Brasil! Abraço fraterno da Fatima/Laguna(SC)

  2. Grandes falas, ainda que eu ache que a natureza não esteja se rebelando, só ajustando a mira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s