Arquivo da categoria: Poesia

A Apagar O Fogo Que O Criminoso Ateia – poema de João Raimundo Gonçalves

A Apagar O Fogo Que O Criminoso Ateia  . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . … Continuar lendo

Publicado em Poesia | Marcado com | Deixe um comentário

Japu & seu ninho – versos de Santino Frezza e Clarice Villac; fotos de Santino Frezza

Japu No pinus perfumado tem seu ninho habilmente tecido a família Japu tem até um toldo na entrada e balança livremente, em segurança ! (C.V.) Eles constroem uma casa dessas sem precisar fazer cursos de arquitetura nem usam caçambas para … Continuar lendo

Publicado em Imagens, Poesia | Marcado com , | 4 Comentários

Um raio de sol entra pela fresta da janela – poema de João Gustavo Leite de Assis; foto de Maria de Fátima Barreto Michels

Um raio de sol entra pela fresta da janela  . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . … Continuar lendo

Publicado em Imagens, Poesia | Marcado com , | Deixe um comentário

Slow motion – setilha de Clarice Villac

Slow motion   lua minguante de agosto chuvinha fria de inverno tudo respira melhor brilha o espaço interno enquanto lava a poeira vai se acalmando a zoeira desse palpitar eterno . *** Clarice Villac 16.08.2017  Claude Debussy – Reflets dans … Continuar lendo

Publicado em Poesia | Marcado com | 2 Comentários

Andorinhas Escrevem No Ar – poema de Lindolf Bell, cartum de Laerte Coutinho

Andorinhas Escrevem No Ar                                                             –  Lindolf Bell Guardo da infância andorinhas escrevendo no ar Hoje recolho ainda andorinhas escrevendo no ar Andorinhas não publicam nem declamam o que escrevem no ar Entendi a escrita minha ao entender a escrita … Continuar lendo

Publicado em Cartuns, Imagens, Poesia | Marcado com , | Deixe um comentário

Completude – aquarela de Alexandre Zilahi, poema de Clarice Villac

Completude Em meio à escuridão, silenciosa, esplende a rosa. Amanhecerá, no azul zumbirão abelhas, borboletas e colibris celebrando perfume e pólen dessa plena existência. Efêmera ? Intensa. . Para Aquarela “Flor” de Alexandre Zilahi. Clarice Villac, 06.06.2017. ____________________ Para conhecer … Continuar lendo

Publicado em Imagens, Poesia | Marcado com , | Deixe um comentário

Poente no Cais – Maria de Fátima Barreto Michels

. Pensei que tinha um mar mas era só uma lagoa Pensei que tinha remos mas eram apenas dois bambus Pensei que tinha uma canoa de um pau só, mas eu tinha era uma pequena bateira de tábuas Quando afastei … Continuar lendo

Publicado em Imagens, Poesia | Marcado com | 3 Comentários