Arquivo da tag: José Mattos

Agreste – José Mattos

Agreste                                    José Mattos – Santa Rita do Pardo, MS Os ventos de agosto vergastam a pradaria à minha volta vibra castigada pelo sol o feroz calor queima enquanto contorce as ramagens bafejo morno que traz a terra amarga o … Continuar lendo

Publicado em Poesia | Marcado com , | Deixe um comentário

Rio Salobro – José Mattos

Rio Salobro                           José Mattos – Santa Rita do Pardo, MS Hoje meu olhar amanheceu saudoso de crianças passarinhando na primavera das frutas; um rio salobro esgueirou-se à revelia. __________ Mais José Mattos : http://mugidodaema.blogspot.com.br/2013/07/rio-salobro.html imagem : Rio Salobro – … Continuar lendo

Publicado em Poesia | Marcado com , | Deixe um comentário

Cheiro de terra – José Mattos

Cheiro de terra                                       José Mattos – Santa Rita do Pardo, MS hoje o cheiro de terra atirou-me de volta à infância: … Continuar lendo

Publicado em Poesia | Marcado com | Deixe um comentário

Feliz Dia do Saci e Seus Amigos !!! – 31 de Outubro

http://www.sacisperto-e-sacimeiga.com.br/ Poemas, Desenhos, Artigos, Resenhas, Links, Charges, Cartuns, Tirinhas, Diversões para Colorir, Ache os 7 Erros, Caça-palavras…  e muito mais !!! Visite e comemore !!!

Publicado em Artigos, Cartuns, Charges, Contos e Lendas, Crônicas, Eventos, Imagens, Links, Poesia, Prosa, Tirinhas | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

Ipê-Roxo, meu amigo – José Mattos

Ipê-Roxo, meu amigo                               José Mattos – Santa Rita do Pardo, MS Apeei do meu cavalo Sob o ipê-roxo copado Enquanto o Zaino pastava, Eu fiquei acocorado Imaginando o que sente Um ipê abandonado À sua volta é ermo Desprovido … Continuar lendo

Publicado em Poesia | Marcado com | Deixe um comentário

Um dia Branco – José Mattos

Um dia Branco                                       José Mattos – Santa Rita do Pardo – MS O dia cândido Pousa sobre as coisas Meus pensamentos brancos Não me dizem nada A manhã desliza quietinha Nas ondas do tempo, A vacada amuada Se arrebanha, … Continuar lendo

Publicado em Poesia | Marcado com | 1 Comentário