Sanhaçu-papa-laranja – foto de Santino Frezza, haiquase de Clarice Villac

SANHAÇU PAPA LARANJA_Santino_Frezza

olhos tão atentos

sanhaçu-papa-laranja

desperta respeito

.

haiquase de Clarice Villac
foto de Santino Frezza

_______________

Para ver mais fotos de aves por Santino Frezza:
http://www.wikiaves.com.br/perfil_sanfrezza

 

 

 

 

Anúncios
Publicado em Imagens, Poesia | Marcado com , | 2 Comentários

Com Trump tempos dramáticos nos esperam – artigo de Leonardo Boff; cartuns de Carlos Latuff

carlos_latuff_junho2018

Com Trump tempos dramáticos nos esperam

  . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .  Leonardo Boff, 28/06/2018

A humanidade está sob várias ameaças: a nuclear, a escassez de água potável em vastas regiões do mundo, o aquecimento global crescente, as consequências dramáticas da Sobrecarga dos bens e serviços naturais, indispensáveis à vida (the Earth Schoot Day).

A estas ameaças se acrescenta uma outra não menos perigosa, aventada já por vários analistas mundiais como os prêmios Nobéis Paul Krugman e Joseph Stiglizt.

Recentemente um economista ítalo-argentino, Roberto Savio, co-fundador e director geral da Inter Press Service (IPS), agora emérito, escreveu um artigo que nos deve fazer pensar sob o título:”Trump veio para ficar e mudar o mundo” (ALAI-America Latina en Movimiento de 20 junio de 2018).

Aí afirma que Trump não é uma causa da nova desordem mundial. Ele é um sintoma. O sintoma de tempos em que os valores civilizatórios que davam coesão a um povo e às relações internacionais, são simplesmente anulados. O que conta é o voluntarismo narcisista de um poderoso chefe de Estado, Trump, que no lugar destes valores colocou o dinheiro e os negócios pura e simplesmente. São estes os que definitivamente contam. O resto são perfumarias dispensáveis para o domínio do mundo.

Kids in Cages - by Carlos Latuff

O “America first” deve ser interpretado como “só a América” conta e seus interesses globais. Em nome deste propósito, já pré-anunciado em sua campanha, Trump rompeu tratados comerciais com velhos aliados europeus, a Aliança do Transpacífico e abriu uma arriscada guerra comercial com seu maior rival a China, impondo sobretaxas de importação de produtos que somam bilhões de dólares, além de cobrar taxas sobre o aço e outros produtos a outros países como o Brasil.

É próprio de figuras autoritárias e narcisistas fazerem pouco das legislações. Quando lhes convém passam por cima delas sem dar maiores razões. Para Trump vale mais a invenção de “uma verdade” do que a verdade factual mesma. O “fakenews” é um recurso presente em seus twitters. Segundo Fact Schecker, desde que assumiu a presidência disse cerca de 3.000 mentiras. Verdade e mentira valem na medida que respaldam seus interesses. Curiosamente venceu os principais pleitos e tem a aprovação de 44% da opinião pública e de 82% de aprovação do Partido Republicano.

Não tolera críticas e cercou-se se assessores súcubos que lhe dizem para tudo “sim” sob o risco de serem sumariamente demitidos.

Trump's options for the U.S. Supreme Court_carlos_latuff

Caso seja reeleito, o que não é improvável, o estilo de governo e a negação de toda ética poderão tornar-se irreversíveis. Não esqueçamos que Hitler e Mussolini também foram eleitos e criaram as suas mentiras vendidas como “verdades” para todo um povo.

Podemos estar face a um mundo marcado pela xenofobia, pela exclusão de milhares e milhares de imigrantes e refugiados, pela afirmação excessiva dos valores nacionais em desprezo dos demais. O crime maior,foi, qual Herodes moderno, separar filhos pequenos de seus pais, colocados em jaulas,mostrando-se sem qualquer sentido de humanidade e de compaixão. Tal crime clama aos céus.

Tais atitudes transformadas em políticas oficiais podem ser fonte de graves conflitos, cujo “crescendo” pode até ameaçar a espécie humana. Cerca de 1300 psicanalistas e psiquiatras norte-americanas denunciaram desvios psicológicos graves na personalidade de Trump.

carlos_latuff_march2018

Como será o destino da humanidade, entregue a um narcisista deste jaez, cujo paralelo só se encontra em Nero que se divertia assistindo o incêndio de Roma, com a diferença de que agora não se trata de um incêndio qualquer mas da inteira Casa Comum. Como é imprevisível e a toda hora pode mudar de posição, assistimos, assustados e estarrecidos, quais serão os futuros passos.

Que Deus que se anunciou como “o apaixonado amante a vida” (Sabedoria 11,24) nos livre de tragédias que poderão ocorrer, dada a irracionalidade de alguém que anuncia “um só mundo e um só império” (o império norte-americano).

_____________________

Leonardo Boff é teólogo, filósofo e escritor e escreveu Salvar a Terra-proteger a vida: como escapar do fim do mundo, Record, RJ, 2010.

https://leonardoboff.wordpress.com/2018/06/28/com-trump-tempos-dramaticos-nos-esperam/

Para ver mais artes de Carlos Latuff:

https://www.facebook.com/realcarloslatuff

https://www.instagram.com/carloslatuff/

Publicado em Artigos, Cartuns, Imagens, Prosa | Marcado com , | 2 Comentários

Combatendo o machismo – cartum de Silvano Mello

silvano_mello

http://mellocartunista.blogspot.com.br/

http://www.facebook.com/cartunista.mello

Publicado em Cartuns, Imagens | Marcado com | Deixe um comentário

Avisar, a gente avisou. – Clarice Villac

balao_pensamento_c.v

Avisar,
a gente avisou.
Mas bateram panelas, não ouviram nada, não respeitaram o que tão duramente havíamos conquistado.
Talvez agora percebam que atiraram também nos próprios pés,
pois não adianta explicar pra eles sobre justiça social e que a vida não acontece só na bolha em que vivem…
.
– Clarice Villac, 24/25.05.2018.

Publicado em Crônicas, Prosa | Marcado com | Deixe um comentário

Compotas – crônica de Pedro Brasil Jr.

Compotas – cronica de Pedro Brasil Jr..

Compotas
. . . . . . . . . . . – Pedro Brasil Jr.

Circulo por entre as gôndolas do mercado e deparo com uma seção toda dedicada aos doces e enlatados com diversas frutas entre as quais pêssegos, figos e abacaxis. Olhar atento, não consigo achar aquela antiga e famosa lata redonda que trazia a melhor goiabada pra gente unir àquele queijo minas e sentir o néctar dos deuses.

Levei para casa a goiabada num tijolinho e uma lata de pêssegos em calda para aquela sobremesa dominical. Aquela lata com a estampa de vistosas frutas me fez parar no tempo por instantes e depois me levou a um passado distante quando morávamos na Fazenda Baronesa no município de Palmeira-PR.

Lá, naquele imponente solar todo em madeira vivemos alguns anos maravilhosos junto à natureza e cercados por praticamente todas as frutas de época. No quintal onde minha mãe mantinha seus lindos jardins, havia laranjeiras, pereiras, ameixeiras, parreiral , um vistoso pé de caqui e três jabuticabeiras que desafiavam minha agilidade em subir em seus galhos para saborear ali mesmo os frutos. Recordo que nos finais de tarde, quase anoitecendo, eu dividia o espaço com esfomeados morcegos e, em meio ao silêncio tudo era quebrado com os brados de minha mãe mandando eu descer da árvore e ir para dentro.

Mas o interessante mesmo eram os pessegueiros quando carregados. Os galhos chegavam a vergar pelo peso dos frutos e tão logo chegavam ao ponto meu pai os colhia e começava sua empreitada para preparar aquelas magistrais compotas onde o amarelo dos pêssegos chegava a refletir a luz.

Compotas – cronica de Pedro Brasil Jr
Havia uma cozinha fora da casa anexa a um paiol onde um grande fogão à lenha era acionado para a pratica daquelas artes culinárias. Meu pai e minha mãe pegavam um grande tacho de cobre e ali começava o festival de frutos e açúcares que atraíam evidentemente as abelhas e vespas da região. Num balcão improvisado ficavam enfileirados aquelas dezenas de vidros próprios para compotas em diferentes tamanhos e numa espessura invejável. Os mesmos tinham um tampo também de vidro, um prendedor metálico para garantir que os potes ficassem bem fechados e tinha ainda uma borracha avermelhada que era o vedante entre a tampa e o vidro.

Um após outro saíam da produção aqueles maravilhosos potes que iam enfeitando os armários da casa e provocando a vontade da gente saborear. Mas tudo tinha um tempo determinado, até mesmo as cervejas feitas em casa que ficavam numa despensa anexa à casa e que, quando estourava uma tampinha a gente corria pegar a garrafa para saborear aquilo que para nós era cerveja, mas estava muito longe de ser a cerveja que iríamos conhecer mais tarde. Apesar de quente, era saborosa e era o que tínhamos para o momento…

Compotas – cronica de Pedro Brasil Jr.
Outras compotas nasciam com os figos, as laranjas para doce e as geleias de uva que tinham uma cor toda própria. Não foram poucas as vezes que vi meu pai com os pés enfiados naquele tacho amassando as uvas para criar o melhor suco de uva. Ficava com os pés e um pedaço da perna manchados por dias.

Se por um lado se vivia as maravilhas da fazenda, por outro o pesadelo foi chegando com nossa partida para a cidade grande. Tudo diferente, uma nova história a escrever, mas as compotas vieram com a mudança e por muitos anos adornaram os armários de minha mãe e a gente nem podia se atrever a mexer naquelas doces recordações de uma época adocicada em nossas vidas, que infelizmente se perdeu com o tempo… da mesma maneira que o casarão se fora e com ele toda uma obra escrita por mais de um século naqueles confins onde a mata era densa, as cobras pareciam macarronada viva, o gado era lindo, os cavalos mansinhos e as frutas-do-conde de uma árvore que quase encostava no céu deixaram para sempre o seu sabor em minha boca e em minhas recordações.

______________

http://guardiaodoportal.blogspot.com.br/

Imagens enviadas por Pedro Brasil Jr.

Publicado em Crônicas, Prosa | Marcado com | Deixe um comentário

Haicai de Jiddu Saldanha

Jiddu_Saldanha

Céu azul profundo –
Um barco carrega a esperança
no imaginário.


Jiddu Saldanha
12.01.2018

____________________

Mais artes de Jiddu Saldanha:

https://mimicamaravilhosa.blogspot.com.br/

http://mestresnarradores.blogspot.com.br/

http://portalcinemapossivel.blogspot.com.br/

Publicado em Poesia | Marcado com | Deixe um comentário

Feliz Natal ! – dezembro 2017 – cartum de José Luiz Ohi

José Luiz Ohi_dez.2017

http://www.flickr.com/photos/ohiartes/

http://ohitine3.wix.com/ohi-ilustras

Publicado em Cartuns, Imagens | Marcado com | Deixe um comentário