Arquivo do mês: junho 2011

Suíte dos Pescadores – Dorival Caymmi

Falar em Mar, é lembrar de Dorival Caymmi… Está no ar um sítio com seu acervo digital : http://www.dorivalcaymmi.com.br/ Aqui, uma versão da Suíte dos Pescadores, na linda voz de Monica Salmaso :   Suíte dos Pescadores – Dorival Caymmi … Continuar lendo

Publicado em Música, Vídeos | Marcado com , | Deixe um comentário

Lavoura – Anibal Beça

Lavoura                         Anibal Beça (Manaus, 13.09.1946 – 25.08.2009) Calma colheita ao verbo em tom sereno Madura mansidão que se apresenta Nessa escolha do fruto mais ameno Servido à mesa suada e tão sedenta. Palavras semeadas num terreno Quintal comum, adubo … Continuar lendo

Publicado em Poesia | Marcado com | Deixe um comentário

Bucólica – José Paulo Paes

Bucólica                      José Paulo Paes – Taquaritinga – São Paulo, 1926 – 1998 O camponês sem terra Detém a charrua E pensa em colheitas Que nunca serão suas José Paulo Paes, in Poesia Completa. São Paulo, Companhia das Letras, 2008, p. 133.

Publicado em Poesia | Marcado com | Deixe um comentário

O Segredo do Boto – Márcio José Rodrigues

O Segredo do Boto                     Márcio José Rodrigues – Laguna, SC Uma canoa desgarrada descia  a maré vazante em direção ao mar. Sem um remador que a conduzisse, deslizava suave ao sabor da correnteza. Levava bem acomodada no fundo, … Continuar lendo

Publicado em Contos e Lendas, Prosa | Marcado com | 1 Comentário

Falta d’Água Potável – charge de Duke

Charge de Duke : http://www.dukechargista.com.br/index.html

Publicado em Charges, Imagens | Marcado com | Deixe um comentário

Trovas Reticentes – Clarice Villac

Trovas Reticentes                                                               Clarice Villac – Campinas, SP Fico olhando a cachoeira entre as pedras a saltar… Pr’ela continuar inteira, só com a mata ciliar ! ***  Se desmatar as encostas não adiantam construções: cairão nas nossas costas em imensos … Continuar lendo

Publicado em Poesia | Marcado com | 1 Comentário

Fonte – Silvia Trevisani

Fonte           Silvia Trevisani – Campinas, SP Lembra daquela fonte de águas claras, onde parava para saciar a sua sede? E sob o Jacarandá florido, em tardes ensolaradas de primavera, sentava para refrescar-se do calor? Que saudade daquela fonte de águas … Continuar lendo

Publicado em Poesia | Marcado com | Deixe um comentário